Sérgio Moro disse que fim do Desarmamento foi por ineficiência da policia

    95 total views, 1 views today

    Em entrevista no GloboNews, Sérgio Moro, ministro de bolsonaro fala sobre posse de arma, segundo suas palavras, a liberação de armas se fez necessário tendo em vista que a policia não consegue fazer o papel dela bem feito.

    No dia 16 de janeiro 2019 o ministro da justiça Sérgio Moro concedeu uma entrevista coletiva à Globonews, respondendo diversas perguntas de um grupo de jornalistas, como por exemplo parcialidade no julgamento do ex.presidente lula, caso batistti, terrorista italiano e, do assessor do filho do presidente, Queiroz. Falou o do porque da mudança com o projeto de armas no pais.

    Coletiva exclusiva á Globonews

    A entrevista foi concedida pelo ministro Sérgio Moro em 16 de janeiro de 2019, à GloboNews e, teve a apresentação e mediação o jornalista e apresentador da Rede Globo o Jornalista Heraldo Pereira, 30 anos de emissora e, entrevistadores o Jornalista Político, Gerson Camarotti, pernambucano, escritor, teve uma entrevista exclusiva com o Papa Francisco na época de sua posse, além de Antria Sadi, Merval Pereira, jornalista e escritor, membro da Academia Brasileira de Letras, ocupando a cadeira 31 e, a jornalista Cristiana Lobo, jornalista político.

    Temas abordados

    Recurso no CNJ da defesa do ex.presidente Lula, sobre a parcialidade do juiz Sérgio Moro, porquanto à frente da lava-jato, posição que deu a ele posição de destaque no cenário nacional e até mundial; o caso Queiroz, militar da reserva da pm carioca porquanto assessor de flávio bolsonaro, então deputado estadual pelo PSL, Rio de Janeiro, cuja acusação recai sobre Queiroz por movimentação financeira atípica, segundo detectou o Coaf, agora sobre responsabilidade do ministro e, o caso do fim fim do Estatuto do desarmamento, sancionado em 2004 pelo então presidente Lula, substituído agora pelo Estatudo de Controle de Armas de Fogo.

     

    Recurso da defesa do ex.presidente

    Quando perguntado sobre o recurso Sérgio Moro disse que não vê nenhum problema quanto a isso, tendo em vista que os desembargadores da 4ª vara federal, em Curitiba mantiveram sua sentença condenatória, refutando todos os argumentos de defesa e, ainda aumentaram a pena de 9 para 12 anos e 1 mês. Segundo o ministro a própria Petrobrás confirmou o desvio de mais de 6 bilhões de reais dos cofres da empresa, “corrupção essa que tinha como objetivo promover o enriquecimento de agentes públicos e do governo, nas barbas do ex.presidente lula”.

    Caso Queiroz

    O ministro disse que não cabe a ele comentar esse tipo de coisa, onde indivíduos são acusados de atos ilícitos, cuja pasta esteja sob sua responsabilidade, pois isso era uma pratica comum de ministros antecessores a ele, porém, isso não é um problema dele.

    Fim do Estatuto do desarmamento

    O fim do Estatuto do desarmamento era uma promessa de campanha do então candidato jair bolsonaro, que ao ser eleito cumpriu sua promessa. Ainda segundo o ministro, o atual decreto que regulamenta a posse e porte de armas no país em substituição ao Estatuto do desarmamento, só foi feito por uma ineficiência de algumas policias de não cumprir o seu papel, deixando a população desprotegida.

    Agora, qualquer pessoa, cumprindo-se algumas exigências, porém, ao alcance da maioria dos brasileiros de bens, podem possuir uma ou até 6 armas de fogo em casa; “armas permitidas, não de uso exclusivo das forças de segurança”, porém, não obrigatório, quem quiser ter, poderá, quem pense o contrário, assim poderá prosseguir, finalizou o ministro Sérgio Moro, ministro da justiça do Brasil.

     

     

    Siga-nos nas redes sociais

       

      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *