Cia de Energia Elétrica do país estão calculando o imposto do ICMS mais.

    50 total views, 1 views today

    Erro em cálculo de imposto sobre energia elétrica causou prejuízo aos consumidores em todo país segundo a advogada especialista em imposto tributário em entrevista ao Jornal Regional de Andradas, no sul de minas gerais, Cia de Energia Elétrica do país estão calculando o imposto do ICMS mais.

     
    Advogada mineira, Cristiane de Oliveira, especialista em imposto tributário,  em entrevista ao Jornal regional de Andradas, cidade do Sul de Minas entra na justiça contra empresas de Energia Elétrica e prova que as cia tem calculado o valor do ICMS( imposto circulação de mercadoria e serviços) calculado por elas, foram de feitos de maneira errada, com isso todo consumidor no país tem direito de ressarcimento dos valores pagos a mais.
     
    Para que isso possa ser feito você precisa contratar um advogado, ingressar com uma ação civil pública contra o Estado onde você mora, exigindo a devolução paga indevidamente.
     
    A ação proposta tem que ser contra o Estado e não contra a empresa de energia elétrica porque foi o Estado o beneficiado, tendo em vista que ele é quem efetivamente ficou com os impostos.
     
    Documentos necessários
     
    CPF, RG, Comprovante de endereço e as últimas 60 contas de luz.
     
    A cia de energia elétrica de seu estado precisa ou melhor tem a obrigação de emitir cópias dessas 60 vias, como disse a advogada caso a operadora do sistema elétrico se nega a entregar as cópias da conta de luz então será preciso abrir uma ação contra elas também.
    https://web.facebook.com/Andradas.Hoje/videos/1349139591810889/UzpfSTEwMDAyOTEwMjY4MjE4NjoxODI1NDY4MzkzOTIwNzE/
    O caso foi em 2017, março de 2017 e, até hoje tramita no judiciário, agora se fosse o contrário, conta em atraso, gato da onde a Cia de Energia Elétrica tivesse sido prejudicada, então a coisa tinha ido a toque de caixa. A republicação nos grupos e, claro aqui no site é apenas para requentar e, não deixar cair no esquecimento geral.
    Por Daniel Quental/Sebrajor

    Siga-nos nas redes sociais

       

      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *