Mulher grávida perde filho depois de sofrer ferimentos por rojão em Ferraz

    767 total views, 1 views today

    Por Daniel Dantas

    Na noite desta quinta-feira(25) de dezembro, natal, mulher grávida perde criança depois de cair, quebrar os braços e sofrer queimaduras por queda de rojão.

    O incidente ocorreu quando a família estava reunida no quintal de casa durante os últimos momentos de confraternização da ceia de natal, por volta da meia noite e meia na cidade de Ferraz de Vasconcelos.

    A mulher que não teve o seu nome divulgada, uma jovem de 23 anos, moradora da cidade, cuidadora de idosos foi socorrida ao ps municipal da cidade de Ferraz de Vasconcelos, grande São Paulo onde recebeu os primeiros atendimentos médicos e foi liberada.

    Denuncia da família

    Segundo a família a jovem mãe estava sangrando muito, mas mesmo assim recebeu atendimento médico, foi enrolada com gazes e liberada para retornar ao convívio familiar, entretanto quando chegou em casa a jovem mãe começou a passar mal.

    A família então procurou socorro médico em outro hospital onde constatou que ela havia sofrido queimaduras, hemorragia e tinha quebrado os braços, porém a gravidez de 3 meses foi interrompida, pois os médicos nada mais podiam fazer para a criança.

    A família acusa o primeiro hospital por negligência médica, pois, acreditam que se o primeiro hospital onde recebeu os primeiros socorros tivessem dado-lhe a devida atenção a criança poderia ter sobrevivida.

    Os números de internações por incidentes com fogos

    Estudos realizados de 2008 à 2017 entre o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Sociedade Brasileira de Cirugia da Mão e a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia apontaram que mais de 5 mil pessoas sofreram com o uso e manuseio indevido de fogos de artificio, tendo que ficarem internadas.

    Levantamento recente também apontaram que 10 pessoas morrem por incidentes com fogos de artificio em todo país anualmente.

    Legislação a respeito

    embora timidamente, algumas alas da sociedade civil tem se manifestada preocupada com a situação, tanto é que no Estado de São Paulo uma lei foi criada com o intuito de proteger a saúde do animal; pois os fogos de artificio provocam surdez nos animais, sem contar os altos índices de stress que eles sofrem em datas comemorativas.

    Entretanto, no entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) essa lei é inconstitucional e fere a constituição federal de 1988.

    Animais domésticos

    É no minimo contraditório, pois em um país em que mais de 50 milhões de pet dividem a casa com famílias que segundo uma pesquisa a maioria os consideram membro da família; como se fosse um filho, essas mesmas famílias consomem um artefato que provoca danos irreversíveis aos animais nada fazem para protegê-los.

    Fonte: SBT/Conselho Federal de Medicina/Sociedade Brasileira de Cirurgia da mão e, Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

     

    Siga-nos nas redes sociais

       

      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *