QUEDA NOS ÍNDICES DE CRIMINALIDADE NO ESTADO DE SÃO PAULO

    133 total views, 1 views today

    Brasil  chega dezembro em uma de suas piores crises econômicas e sociais da história, nem tudo esta perdido. São Paulo comemora a redução nos índices de criminalidade.

    Muito embora um único furto, roubou ou latrocínio a menos registrada já seja motivo de comemoração, o Estado de São Paulo, que tem a frente o governador Márcio França teve redução em todas as modalidades de crime: roubos, furtos, homicídios, latrocínios e estupros.

    Foram registrados 15,5% a menos no registro de homicídios doloso ( com intensão de matar) no mês de novembro, com 240 assassinatos, contra 284 no mesmo período de 2017. Com isso as vítimas também diminuíram, recuando 12,6%, com 37 pessoas ganhando uma sobre vida, caindo de 294 mortos em 2017, para 257 em novembro de 2018, os registros foram comemorados por ser o menores desde sua criação, sendo o menor de sua série histórica.

    Segurança se faz com Inteligência e contra inteligência

    Nenhum crime poderia ser aceito ou tolerável, o que você acha, pois para os governos, sem problema, chegamos com taxas internacionais, com isso o Estado de São Paulo, alcançou quedas significativas em 2018 em relação a 2017, onde em dezembro de 2107 a novembro de 2018 foram registrados 6,83 casos e, 7,19 vítimas a cada grupo de 100 mil habitantes.

    Os roubos seguidos de morte, chamados de latrocínios, apresentaram queda de 4,2%, tendo apenas um ocorrência a menos, como disse:”uma vida” a mais, passando de 24 para 23 ocorrências.  A quantidade é a menor da série histórica desde 2010 e iguala-se ao total registrado no ano de 2014.

    No mesmo período, o número de vítimas de roubos seguidos de morte teve redução de 4%, já que o total passou de 25 para 24 vítimas. É o menor número desde 2014, desde o início da série histórica.

    Outros indicadores

    Em novembro, os estupros diminuíram 12,3%, com 922 boletins de ocorrências registrados – 129 a menos que em igual período de 2017. As extorsões mediante sequestro permaneceram zeradas.

    Os roubos em geral caíram 8%, com 1.835 casos a menos no penúltimo mês de 2018. Foram 21.021 ocorrências em novembro deste ano, ante 22.856 em igual período do ano passado. É o menor total desde 2013.

    Os roubos de veículos recuaram 9% no mês, passando de 5.634 para 5.127, ou seja, 507 casos a menos. É o segundo menor total contabilizado em toda a série histórica, iniciada em 2001.

    Os roubos a banco caíram 85,7% em novembro. A diminuição mensal foi de seis ocorrências, caindo de sete para um boletim de ocorrência desta natureza. A quantidade é a menor da série histórica mensal.

    No mesmo período, os roubos de carga tiveram queda de 16,2% – passando de 829 para 695, em números absolutos, foram 134 a menos.

    Os furtos em geral tiveram redução de 1,1%, com 41.550 casos, contra 42.002. Os furtos de veículos reduziram em 8,4% no mês. A quantidade caiu de 9.099 para 8.338 ocorrências registradas em novembro. Menor número desde 2009.

    Produtividade policial

    Em novembro, o trabalho integrado entre as polícias Civil e Militar resultou em 15.496 prisões realizadas. É a maior quantidade registrada na séria histórica.

    No mesmo mês, 1.011 armas de fogos foram retiradas das ruas e 3.660 flagrantes de tráfico de drogas foram registrados.

    E você, o que pensa sobre isso, eu não estive na coletiva de imprensa promovida pela Secretaria de Segurança Pública, porém na gestão de Alckimin, quando Alexandre de Moraes era secretário de segurança pública, que algo parecido era divulgado eu logo tinha uma pergunta pronta:”porquê?” Como desta vez eu não estava lá, então não sei se os colegas a fizeram:” o que levou a esta redução; uma ação, operação?”, pois caso contrário teremos um aumento a qualquer momento, por favor, comente, compartilhe, pois, claro, preciso de você, quero saber se concorda ou não com que publicamos aqui.

    Por Daniel Dantas/Sebrajor

    Siga-nos nas redes sociais

       

      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *