censura

Cinco jornalistas deixaram a cobertura presidencial por falta de liberdade de imprensa

Cinco jornalistas deixaram a cobertura presidencial por falta de liberdade de imprensa

23 total views, no views today

Cerimonia de posse do presidente eleito veio cheio de medos, dúvidas e censura, mostrando como será a volta dos militares ao poder, mostrando a que tudo será diferente no país.

Cinco jornalistas, sendo quatro estrangeiros e um brasileiro abandonaram a cobertura presidencial em protesto contra as rígidas medida de segurança tomada pela organização do evento.

Entre os jornalistas que pediram para deixar o local da cobertura estão jornalistas francesas, chineses e brasileiros. Segundo os jornalistas que pediram para deixar o local, muitos problemas para essa cobertura, pois falta estrutura para cobertura de água à tomadas para recarregar equipamentos.

Outro fato que fizeram que eles pediram para sair também está o fato de que não poderão circular pelo ambiente onde as autoridades vão está ou chegaram, além disso não terão liberdade para entrevistar ou fotografar autoridades.

Com a chuva que deságua sobre a capital federal, mostrando um possível prenúncio de tempos piores para a liberdade de expressão no país com a volta dos militares no poder, os jornalistas não terão acesso a lanche, água ou qualquer outro coisa do gênero, mostrando que a preocupação agora está em proteger Jair Messias Bolsonaro dos repórteres, com medo de que alguns deles pudessem atacar o presidente com alimentos, cometendo terrorismo com:”laranjas”.

Toda a imprensa recebeu um só tratamento, tendo que chegar as 7h da manhã para ser passado por uma revista minuciosa, pessoal e de bagagem, que depois seriam embarcados em um ônibus e transportados para o confinamento, tendo que trabalhar mais de 14 horas em cobertura jornalística.

Isso mostra pode apontar mudança na tratativa com a imprensa no governo militar que acabou de ser empossado, mostrando que a imprensa não terá um local de destaque no governo. Podendo sofrer liberdade de expressão, censura, confisco e boicote ao trabalho dos jornalistas de uma forma geral.

Por Daniel Dantas/Sebrajor